Práticas pedagógicas para o ensino de pessoas com deficiência visual

Sala Recursos 090 300x225 - Práticas pedagógicas para o ensino de pessoas com deficiência visual

O ensino de pessoas com deficiência visual, a imagem mostra metade do rosto de um menino que usa óculos e em sua frente sobre uma mesa marrom folhas com números (3, 4, 5 e 6) sinalizados também em braile

O ensino de pessoas com deficiência visual

Para o ensino de pessoas com deficiência visual, alguns fatores precisam ser averiguados para planejar uma prática pedagógica: histórico social, tipo de deficiência visual e desenvolvimento psicomotor.

A falta visão, dificulta que a criança com deficiência visual estabeleça uma boa ”conexão” com o mundo que a cerca, ou seja, possa contextualizar os diversos conceitos que são adquiridos ao longo da vida.

Segundo Gil (2000) a visão é o principal canal para que o indivíduo estabeleça um relacionamento com o mundo exterior, tornando-se uma espécie de “sistema-guia”, que permite capturar e registrar informações. Sendo assim, é fácil entender como é complexo a aquisição de conhecimentos para as crianças deficientes visuais, pois, não possuem “memórias visuais” guardadas no cérebro, o que ocasionalmente dificulta entender certos conceitos como: a cor do sol, o azul do céu, o verde da grama e tantas outras definições.

Os autores CERQUEIRA e FERREIRA (2000) concordam que por esse motivo “talvez em nenhuma outra forma de educação os recursos didáticos assumam tanta importância como na educação de pessoas deficientes” Em visita ao Instituto Benjamin Constant observamos que o trabalho docente desenvolvido pelas professoras das classes da Educação Infantil proporciona aos alunos deficientes visuais uma boa compreensão dos conteúdos curriculares, visto que os materiais didáticos são adaptados as necessidades educacionais dos alunos cegos ou com baixa visão.

Na turma da professora Margarida Cerqueira da Escola Municipal de Educação Especial Albetin Sabin, verificamos uma semelhança com a realidade educacional do Instituto Benjamin Constant no âmbito das adaptações e dos recursos pedagógicos que a docente utiliza em sala de aula. É importante ressaltar que além dos recursos pedagógicos específicos para deficientes visuais (reglete, punção, máquina Perkins, sorobã e lupas), a professora adaptou vários recursos didáticos utilizando diferentes tipos de materiais como: pote de iogurte, garrafas pet, tela para mosquito, palito de churrasco, palito de pirulito, caixa de sapato, caixa de leite, pulseira de plástico e base para pizza.

Apesar de alguns materiais didáticos terem a mesma finalidade de aprendizagem, se diferem em cor, tamanho e textura. Esse artifício é utilizado para que os alunos cegos possam se adaptar a diferentes situações, estimulando a curiosidade e o prazer em realizar as atividades.

Referências:
CERQUEIRA, Jonir Bechara; FERREIRA, Elise de Melo. Recursos didáticos na educação especial. Artigo disponível em <http://WWW.ibc.gov.br/…/Nossos_RBC_RevAbr2000_ARTIGO3.RTF> Acesso em 27/05/2010.

GIL, Marta (org). Cadernos da TV Escola: Deficiência Visual. – Brasília: MEC. Secretaria de Educação a Distância, 2000.

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/pedagogia/praticas-pedagogicas-no-processo-de-ensino-aprendizagem-do-deficiente-visual/26722

0 comments on “Práticas pedagógicas para o ensino de pessoas com deficiência visualAdd yours →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir
Precisa de ajuda?